Violência doméstica e saúde de mulheres migrantes bolivianas em oficinas domiciliares de costura na Grande São Paulo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1980-85852503880006612

Palavras-chave:

violência de gênero, violência doméstica, migração e saúde, migração boliviana, trabalho precário

Resumo

A intersecção entre migração, violência doméstica e saúde é um assunto pouco explorado no Brasil. O objetivo deste artigo é discutir a violência doméstica enfrentada por mulheres migrantes bolivianas residentes em oficinas de costura domiciliares em São Paulo. Este texto é fruto de uma pesquisa etnográfica com migrantes bolivianas que trabalham ou trabalharam em oficinas na Grande São Paulo. Os dados evidenciaram a necessidade de promover campanhas contra a violência doméstica nas oficinas de costura considerando as condições únicas que muitas apresentam como espaços privados, públicos e transnacionais. A pesquisa destaca a importância do setor de saúde para promover estratégias de cuidados para trabalhadoras em oficinas e capacitar os profissionais em saúde que trabalham com essa população para reconhecer situações de violência e promover a segurança e saúde das vítimas da violência doméstica.

Biografia do Autor

Denise Martin, Professora adjunta na Universidade Federal de São Paulo- Escola Paulista de Medicina (UNIFESP-EPM)

Dra. Denise Martin, Professora adjunta na Universidade Federal de São Paulo- Escola Paulista de Medicina (UNIFESP-EPM) Email: denise.martin@unifesp.br

Downloads

Publicado

2022-12-15

Como Citar

Serrano, S., & Martin, D. (2022). Violência doméstica e saúde de mulheres migrantes bolivianas em oficinas domiciliares de costura na Grande São Paulo. REMHU, Revista Interdisciplinar Da Mobilidade Humana, 30(66). https://doi.org/10.1590/1980-85852503880006612

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)