Sobre as etnocracias das ajudas humanitárias no Líbano

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1980-85852503880006306

Palavras-chave:

humanitarismo, refugiados sírios, deslocamento, Líbano, etnização

Resumo

Neste artigo, discuto a tendência do sistema humanitário de fornecer serviços às pessoas necessitadas em áreas afetadas pela crise baseando-se na nacionalidade. Através de dados coletados em pesquisas de campo com refugiados sírios,iraquianos, sudaneses e palestinos realizadas entre os anos 2011 e 2019 no Líbano, mostrarei como a hospitalidade pode ser empregada tanto como prática quanto como discurso. Explicarei como isso pode se transformar, de maneira problemática, em uma força de “etnização” na prestação de ajuda humanitária. De um uso conservador do discurso da hospitalidade, apresentarei o conceito de “humanitarismo compensatório” que atende aos habitantes locais como uma consequência da presença de refugiados. Contra esse pano de fundo, finalmente mostrarei como o sistema humanitário atual está longe de ser intergrupal, apesar de seus esforços para tornar os programas nacionalmente mistos. Na verdade, o humanitarismo simplesmente propõe programas mistos para, presumivelmente, dissipar as tensões intergrupais, revelando, portanto, uma neo-etnicização das ajudas.

Biografia do Autor

Estella Carpi, University College London

University College London. London, United Kingdom. Email: estella.carpi@gmail.com.

Downloads

Publicado

2022-01-14

Como Citar

Carpi, E. (2022). Sobre as etnocracias das ajudas humanitárias no Líbano . REMHU, Revista Interdisciplinar Da Mobilidade Humana, 29(63), 87–106. https://doi.org/10.1590/1980-85852503880006306