Deslocamentos forçados no Oriente Médio e o ciclo de vida do refúgio na Turquia e Líbano

Da cobertura factual ao jornalismo humanitário

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1980-85852503880006304

Palavras-chave:

migração forçada, Turquia, Líbano, jornalismo humanitário, jornalismo internacional, Oriente Médio

Resumo

A migração forçada no Oriente Médio é uma das pautas mais subestimadas por grande parte da imprensa ocidental, ainda que suas estatísticas e impactos tenham refletido no aumento da população que demanda ajuda humanitária e dificultado a elas a garantia dos direitos humanos e civis, principalmente no contexto da pandemia de COVID-19. Com foco na temática do refúgio, especialmente na Turquia e o Líbano, o presente artigo tem o objetivo de identificar como o jornalismo humanitário pode se apresentar como uma alternativa à cobertura factual, garantindo uma atuação jornalística que acompanhe o ciclo de vida do refúgio, retire da opacidade a consequente violação de direitos humanos dos migrantes e refugiados e contribua para a formação de uma opinião pública capaz de cobrar políticas humanitárias. A metodologia compreende a análise quantitativa da cobertura de três grandes jornais brasileiros, Folha de S.Paulo, O Estado de S. Paulo e  O Globo.

Biografia do Autor

Cilene Victor, Universidade Metodista de São Paulo

Cilene Victor, professora titular do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Metodista de São Paulo, onde é uma das líderes do grupo de pesquisa Jornalismo Humanitário e Media Interventions, e professora da Faculdade Paulus de Comunicação. Tem pós-doutorado em Planejamento e Gestão do Território pela Universidade Federal do ABC (UFABC), doutorado em Saúde Pública pela Universidade de São Paulo, mestrado em Comunicação Científica e Tecnológica e especialização em Comunicação Aplicada à Saúde, ambos pela Universidade Metodista de São Paulo. É representante na América Latina do Centro de Estudos de Paz, sediado em Qom, Irã. Como jornalista e pesquisadora no campo do jornalismo humanitário e de paz, tem investigado a dimensão social das mudanças climáticas, com ênfase nos deslocamentos internos por desastres, uma das faces da atual crise humanitária global.

Lilian Sanches, Universidade de São Paulo

Doutoranda do Programa de Psicologia Social da Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP,
Brasil. E-mail: liliansanchesr@gmail.com.

Rodrigo Borges Delfim, Universidade Metodista de São Paulo

Jornalista, mestrando em Comunicação Social pela Universidade Metodista de São Paulo. Como pesquisador do grupo de pesquisa sobre jornalismo humanitário e media interventions, trabalha com a aplicação do jornalismo humanitário e de paz na cobertura da mídia sobre a temática migratória. É fundador e editor do MigraMundo, site de notícias sobre migrações, e tem nove anos de experiência profissional em coberturas de jornalismo político, econômico, políticas públicas e noticiário internacional. Em 2014, cobriu para a Deutsche Welle o Fórum Social Mundial de Migrações, que ocorreu em Joanesburgo, na África do Sul, e, em 2017, esteve em Roraima pela revista Caros Amigos para acompanhar a situação dos imigrantes venezuelanos.

Downloads

Publicado

2022-01-14

Como Citar

Victor, C., Sanches, L., & Borges Delfim, R. . (2022). Deslocamentos forçados no Oriente Médio e o ciclo de vida do refúgio na Turquia e Líbano : Da cobertura factual ao jornalismo humanitário. REMHU, Revista Interdisciplinar Da Mobilidade Humana, 29(63), 43–64. https://doi.org/10.1590/1980-85852503880006304