Crianças migrantes e o direito à educação: leituras e conversas com equatorianos na atuação voluntária do grupo DIASPOTICS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1980-85852503880006010

Palavras-chave:

crianças imigrantes, equatorianos, direito à educação, integração

Resumo

Este artigo foi motivado pela conversa com um menino equatoriano de sete anos, no qual ele narra que ouviu de sua professora que não aprende a ler porque sua mãe se comunica com ele em espanhol. Nossas inquietações surgiram em meio ao trabalho desenvolvido pelo grupo DIASPOTICS - Migrações Transnacionais & Comunicação Intercultural com migrantes equatorianos em Copacabana. O objetivo deste texto é refletir sobre a integração de crianças migrantes e seu direito à educação, tendo como cenário empírico o trabalho com esse grupo de crianças matriculadas em duas escolas públicas do Rio de Janeiro. A partir do trabalho de campo realizado, apontamos a necessidade de maior reflexão sobre integração e educação como construção de saberes com todos os atores envolvidos.

Biografia do Autor

Adriana Assumpção, Universidade Estácio de Sá

Professora e pesquisadora na Universidade Estácio de Sá. Membro do grupo DIASPOTICS/UFRJ. Rio de Janeiro, RJ, Brasil. E-mail: professoraadrianaassumpcao@gmail.com.

João Paulo Rossini Teixeira Coelho, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Mestrando Erasmus Mundus+ MITRA: Migrations Transnationales, Université de Lille 3. Membro do grupo DIASPOTICS/UFRJ. Rio de Janeiro, RJ, Brasil. E-mail: jprossini96@gmail.com.

Downloads

Publicado

2020-12-30