Educação intercultural. Teorias, políticas e práticas de pluralismo cultural no sistema de ensino italiano

Autores

  • Marco Catarci

DOI:

https://doi.org/10.1590/1980-85852503880004609

Palavras-chave:

Educação intercultural, Itália, estudantes migrantes, interculturalidade, inclusão.

Resumo

No contexto italiano, a pesquisa no âmbito da educação e a prática
intercultural estão estruturadas, essencialmente, ao longo de dois eixos principais: a) em primeiro lugar, uma abordagem de educação intercultural visa identificar, planejar e experimentar as estratégias mais adequadas para promover uma inserção efetiva dos alunos estrangeiros na escola e na sociedade. Isso também exige a consecução das condições para assegurar que todos os indivíduos (autóctones e imigrantes) alcancem os mesmos níveis de sucesso escolar; b) em segundo lugar, uma vez que a educação intercultural se estende a todos e, especialmente, aos autóctones, assumir essa perspectiva significa atuar na tarefa fundamental de incentivar hábitos de acolhida entre os italianos. Isso pode e deve ter consequências na revisão e na reformulação do sistema educacional, que não deve estar voltado somente para a formação do cidadão italiano, mas, acima de tudo, do cidadão do mundo, que vive e trabalha em um contexto global interdependente.

 

In the Italian context, educational research and intercultural practice move substantially along two main axes: a) in the first place, engaging in intercultural education means working to identify, design and test the most appropriate strategies for encouraging a positive insertion of foreign students in schools and, therefore, in society. This involves provision of the necessary conditions to ensure that all individuals (natives and immigrants) obtain the same rates of academic success. b) In the second place, because intercultural education is aimed at everyone and especially at native people, taking a perspective with an intercultural connotation means engaging in the objective of encouraging habits of reception in Italians. This can and must be reflected in the review and refoundation of the training axis of the school which must not aim only at the formation of the Italian citizen, but above all at the formation of a citizen of the world, who lives and acts in an interdependent global world.

Downloads

Publicado

2016-05-13

Como Citar

Catarci, M. (2016). Educação intercultural. Teorias, políticas e práticas de pluralismo cultural no sistema de ensino italiano. REMHU, Revista Interdisciplinar Da Mobilidade Humana, 24(46). https://doi.org/10.1590/1980-85852503880004609