O refúgio do trauma. notas etnográficas sobre trauma, racismo e temporalidades do sofrimento em um serviço de saúde mental para refugiados.

ethnographic notes about trauma, racism and suffering temporalities in a mental health service for refugees.

Autores

  • Alexandre Branco Pereira Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social Universidade Federal de São Carlos

DOI:

https://doi.org/10.1590/1980-85852503880005306

Palavras-chave:

Refugiados, Saúde Mental, Trauma, Racismo, Antropologia

Resumo

Este artigo apresenta reflexões etnográficas realizadas a partir de trabalho de campo em um serviço de assistência em saúde mental para refugiados na cidade de São Paulo, e em outros contextos. Aponto para como a categoria trauma, pressupondo um sofrimento passado, é acionada pelo serviço de saúde mental, mas não pelos sujeitos atendidos, que recorrem a temporalidades presentes e futuras de sofrimento na requisição de auxílio junto a esses serviços, demonstrando como as abordagens são reformuladas ou não face a apresentação dessas temporalidades de sofrimento distintas.

Biografia do Autor

Alexandre Branco Pereira, Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social Universidade Federal de São Carlos

Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da UFSCar (PPGAS/UFSCar), membro do Laboratório de Estudos Migratórios (LEM/UFSCar) e bolsista CAPES-DS.

Downloads

Publicado

2018-08-24

Edição

Seção

Dossiê