Entendendo a Migração Global: Uma perspectiva desde a transformação social

  • Stephen Castles

Resumo

Este artigo pretende examinar algumas das dificuldades da elaboração teórica no estudo das migrações internacionais e sugerir uma resposta. O ponto inicial é um exame da percepção predominante da “migração como um problema”. Em seguida apresenta-se uma discussão sobre alguns dos principais obstáculos para um avanço teórico nos estudos sobre migrações. Concordo que uma teoria geral das migrações é, além de impossível, indesejada. Porém, podemos progredir sensivelmente mediante o re-enraizamento (re-embedding)da pesquisa sobre migrações num entendimento mais geral da sociedade contemporânea e conectando-a a teorias mais amplas da mudança social no âmbito de várias disciplinas das ciências sociais. Um marco conceitual do estudo das migrações deve considerar a transformação social como sua categoria central, no intuito de facilitar o entendimento da complexidade, interconectividade, variabilidade, contextualidade e mediações multiniveladas dos processos migratórios num contexto de acelerada transformação global. Isso significaria examinar os elos entre transformação social e mobilidade humana na conjuntura dos níveis socioespaciais, enquanto procura-se entender como a ação humana (agency)pode condicionar as respostas a fatores estruturais. O argumento é ilustrado através do exemplo da mudança nas dinâmicas da força de trabalho nos países mais desenvolvidos.

Palavras-chave: Teoria das migrações; Teoria social; Transformação social; Níveis socioespaciais; Agency; Estrutura

 

This article aims to examine some of the difficulties of theory formation in international migration studies, and to suggest a response. The starting point is an examination of the dominant perception of ‘migration as a problem’. This is followed by a discussion of some key obstacles to theoretical advancement in migration studies. I argue that a general theory of migration is neither possible nor desirable, but that we can make significant progress by re-embedding migration research in a more general understanding of contemporary society, and linking it to broader theories of social change across a range of social scientific disciplines. A conceptual framework for migration studies should take social transformation as its central category, in order to facilitate understanding of the complexity, interconnectness, variability, contexuality and multi-level mediations of migratory processes in the context of rapid global change. This would mean examining the links between social transformation and human mobility across a range of socio-spatial levels, while always seeking to understand how human agency can condition responses to structural factors. The argument is illustrated through the example of the changing dynamics of labour forces in highly-developed countries.

Keywords: Migration theory; Social theory; Social transformation; Socio-spatial levels; Agency; Structure

 

Seção
Contextualização