A política de acolhimento de refugiados – considerações sobre o caso Português

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1980-85852503880005103

Palavras-chave:

refugiados, políticas de acolhimento, migrantes involuntários, Portugal

Resumo

A eclosão de conflitos armados e civis no Médio Oriente, bem como a expansão do autoproclamado Estado Islâmico provocou um fluxo considerável de refugiados com destino ao espaço comunitário europeu, sendo a maior vaga migratória desde a II Guerra Mundial. A atratividade do espaço europeu, associado às políticas de acolhimento, constitui o ponto de partida para esta análise que incide sobre os mecanismos de acolhimento registados pelo Estado Português. Através de um estudo iminentemente exploratório e recorrendo ao método de análise descritiva, optámos por analisar as estratégias de acolhimento, bem como os dados existentes sobre os processos em vigor em Portugal, considerando igualmente uma visão comparativa com os demais Estados-membros da União Europeia.

Biografia do Autor

Bruno Ferreira Costa, Universidade da Beira Interior

Faculdade de Artes e Letras - Departamento de Comunicação e Artes. E-mail: bdfc@ubi.pt

Géssica Teles, Universidade da Beira Interior

Universidade da Beira Interior. Covilhã, Portugal. E-mail: gessica.2510@bol.com.br

Downloads

Publicado

2018-01-09

Como Citar

Costa, B. F., & Teles, G. (2018). A política de acolhimento de refugiados – considerações sobre o caso Português. REMHU, Revista Interdisciplinar Da Mobilidade Humana, 25(51), 29–46. https://doi.org/10.1590/1980-85852503880005103