Elaborações do traumático através da arte

Refúgio, cultura e memória

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1980-85852503880006608

Palavras-chave:

trauma, refúgio, elaboração, arte

Resumo

Este artigo tem como objetivo trazer uma discussão sobre os traumas provocados pelas situações de refúgio, e sobre como a arte pode auxiliar na elaboração destes traumas. Partindo de uma interlocução entre psicanálise e teorias sociais críticas, desenvolvemos algumas considerações acerca da psicologia do trauma e sobre o processo de elaboração psíquica por meio da arte. Compreendemos que o contato com a criação artística, seja na posição de criador, espectador e/ou pesquisador, tem como efeito a inclusão e intercâmbio cultural de sujeitos refugiados no país de acolhimento, bem como a criação de memórias, articuladas à ética das relações, transmitindo elementos da cultura e da história do país do imigrante. Consideramos que a inclusão e o intercâmbio cultural, bem como a criação de memórias singulares, mas simultaneamente coletivas, contribuem para a elaboração psíquica das violências, perdas e lutos que costumam caracterizar o refúgio, além de pluralizar experiências e dinamizar a sociedade.

Downloads

Publicado

2022-12-15

Como Citar

Oliveira Alves, L., Martins-Borges, L., & Mandelli de Marsillac, A. L. (2022). Elaborações do traumático através da arte: Refúgio, cultura e memória. REMHU, Revista Interdisciplinar Da Mobilidade Humana, 30(66). https://doi.org/10.1590/1980-85852503880006608