Estratégias locais e escalas globais: uma articulação necessária

Autores

  • Marcia Anita Sprandel
  • Guilherme Mansur Dias

Palavras-chave:

Antropologia, Organismos internacionais, Etnografia

Resumo

O artigo pretende ressaltar a contribuição crítica de estudos e debates da antropologia e das ciências sociais na área de migrações, de forma a levantar questões para serem partilhadas com estudiosos da área. A partir da reflexão sobre a quase ausência de dados etnográficos nas publicações e nos debates promovidos por organismos multilaterais, no âmbito internacional, criticamos o fato da etnografia, das representações, das histórias de vida e das estratégias e hierarquias associadas às práticas de indivíduos ou grupos sociais identificados como “migrantes” aparentemente não caberem nos documentos oficiais desses organismos. Por outro lado, o artigo levanta questões sobre as dificuldades enfrentadas por antropólogos quando os grupos sociais por eles estudados passam a ser incluídos nas categorias “emigrantes” ou “imigrantes” e a produção intelectual tem de enfrentar, repentinamente, o desafio de lidar com discursos e conceitos universalizantes como “governança das migrações”, “vitimização do migrante”, “feminização das migrações”, etc.. Reflexões de Sahlins, Sayad e Bourdieu, entre outros autores, apontam caminhos no enfrentamento ao impasse entre análises locais e globais.
Palavras-chave: Antropologia; Organismos internacionais; Etnografia

The article aims to stand out the critical contribution of anthropologic and social science studies and debates towards migrations, putting questions to be shared with proficients of the area. From the reflection on the very few ethnographic data in publications and debates promoted by multiparty organisms internationally, it criticizes the fact that the ethnography, representations, life histories, strategies and hierarchies associated to the actions of individuals or groups, identified as migrants, apparently do not fit in the official documents of these organisms. On the other side, the article points out the difficulties faced by anthropologists when the groups they study become part of the so called “emigrants” or “immigrants” categories and, therefore, the intellectual creation, all of a sudden,  has to face the challenge of dealing with universal concepts and speeches, such as “migration governments”, “migrants’ victimization”, “migration femininization”, etc.. Sahlins, Sayad, Bourdieu and other authors’ reflections lead to the confrontation with the deadlock between the local and global analysis.
Keywords: Anthropology; International organisms; Ethnography

Biografia do Autor

Marcia Anita Sprandel

Guilherme Mansur Dias

Downloads

Como Citar

Sprandel, M. A., & Mansur Dias, G. (2010). Estratégias locais e escalas globais: uma articulação necessária. REMHU, Revista Interdisciplinar Da Mobilidade Humana, 17(32). Recuperado de https://remhu.csem.org.br/index.php/remhu/article/view/151