A Loja de Mohamed. Espaços transnacionais, práticas muçulmanas e relações de gênero entre migrantes senegaleses numa pequena cidade do Rio Grande do Sul

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1980-85852503880005608

Palavras-chave:

migração, senegaleses, muçulmana, cidade de pequena escala, Rio Grande do Sul

Resumo

Este artigo aborda as peculiaridades de experiências migratórias de senegaleses e as conexões transnacionais que dão suporte a esse fluxo migratório, fundamentado em princípios religiosos muçulmanos. As reflexões apoiam-se numa pesquisa etnográfica realizada por dois anos numa pequena cidade do Rio Grande do Sul. O eixo de análise são as trajetórias de vida de migrantes às que nos aproximamos na Loja M, qualificada de espaço transnacional, enfatizando em especificidades dessas trajetórias nas relações de gênero instituídas culturalmente com base no mouridismo.

Biografia do Autor

Margarita Gaviria Mejia, Universidade do Vale do Taquari-Univates

Programa de Pós-graduação em Ambiente e Desenvolvimento da Universidade do Vale do Taquari-Univates. Lajeado - RS, Brasil. E-mail: margaritarosagaviria@gmail.com.

Marcele Scapin, Universidade do Vale do Taquari-Univates

Doutoranda do Programa de Pós-graduação em Ambiente e Desenvolvimento da Universidade do Vale do Taquari-Univates. Lajeado - RS, Brasil. E-mail: cele_scapin@yahoo.com.br.

Downloads

Publicado

2019-09-02

Como Citar

Gaviria Mejia, M., & Scapin, M. (2019). A Loja de Mohamed. Espaços transnacionais, práticas muçulmanas e relações de gênero entre migrantes senegaleses numa pequena cidade do Rio Grande do Sul. REMHU, Revista Interdisciplinar Da Mobilidade Humana, 27(56), 139–158. https://doi.org/10.1590/1980-85852503880005608