Payasos Sin Fronteras

Considerando as populações refugiadas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1980-85852503880006805

Palavras-chave:

Payasos Sin Fronteras, Arte, Populações refugiadas, Infância

Resumo

Os Payasos Sin Fronteras atuam em campos de refugiados e outros cenários marcados por conflitos e violências, recorrendo à palhaçaria e ao lúdico como estratégias para defender os direitos humanos e agir diretamente sobre situações de vulnerabilidade social. O presente texto almeja explorar o papel da arte na promoção de uma melhor qualidade de vida para pessoas nessas situações, a partir da atuação dos Payasos Sin Fronteras junto às populações refugiadas. Para tanto, realiza-se uma revisão bibliográfica de caráter exploratória e descritiva para auxiliar na compreensão do estudo de caso, articulando literaturas sobre refúgio e comicidade com a dimensão prática – cujas principais fontes são relatórios e publicações da organização. Verifica-se nesse debate que a função social do riso instrumentalizada pelos PSF contribui com a promoção da resiliência das populações refugiadas...

Biografia do Autor

Luan Silva, IRI/PUC-Rio

Doutorando no Instituto de Relações Internacionais da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (IRI/PUC-Rio), mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais da Universidade Estadual da Paraíba (PPGRI/UEPB). Colaborador do Projeto Universidade em Ação (PUA). Membro do Grupo de Estudos de Paz e Segurança Mundial (GEPASM/CNPq) e da Rede de Pesquisa em Paz, Conflitos e Estudos Críticos de Segurança (Rede PCECS). Rio de Janeiro, RJ, Brasil. E-mail: luandonascimentosilva@gmail.com.

Referências

BERGER, Peter L. Redeeming laughter: the comic dimension of human experience. 2ª Ed. Berlim/Boston: De Gruyter, 2014.

BERGSON, Henri. O riso: ensaio sobre a significação do cômico. 2ª Ed. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1978.

BOAL, Augusto. Teatro do Oprimido e Outras Poéticas Políticas. 6ª Ed. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, 1991.

BRUHN, Marília M.; BOSCOLO, Kim O.; BARBOZA, Rita P.; CRUZ, Lilian R. Psicologia, palhaçaria e psicodrama: construção coletiva de aprendizados e intervenções. Revista Brasileira de Psicodrama, v. 27, n. 1, p. 65-74, 2019.

CANTOR, David J.; BARICHELLO, Stefania E. The Inter-American human rights system: a new model for integrating refugee and complementary protection? The International Journal of Human Rights, v. 17, n. 5-6, p. 689-706, 2013.

CWBI – CLOWNS WITHOUT BORDERS INTERNATIONAL. Annual Report 2021. Barcelona: CWBI, 2022. Disponível em: <https://www.cwb-international.org/wp-content/uploads/Annual-Report-2021.pdf>. Acesso em: 17.03.2023.

______. Who we are. Barcelona: CWBI, 2023a. Disponível em: <https://www.cwb-international.org/who-we-are/>. Acesso em: 20.03.2023.

______. Our work. Barcelona: CWBI, 2023b. Disponível em: <https://www.cwb-international.org/our-work/>. Acesso em: 04.06.2021.

______. Miles of Smiles: Clowns without Borders International Handbook. CWBI/ UNESCO, 2017. Disponível em: <https://www.cwb-international.org/wp-content/uploads/CWBI-handbook-Miles-Of-Smiles.pdf>. Acesso em: 04.06.2021.

______. Annual Report 2018. Barcelona: CWBI, 2018. Disponível em: . Acesso em: 10.06.2021.

DOTY, Roxanne L. Why is people’s movement restricted? In: EDKINS, Jenny; ZEHFUSS, Maja (orgs.). Global Politics: A New Introduction. 2ª Ed. London: Routledge, 2009, p. 200-219.

FERRIS, Elizabeth G. The Politics of Protection: The Limits of Humanitarian Action. Washington DC: The Brookings Institution Press, 2011.

JESUS, Jennifer J. de. Palhaçaria humanitária: uma perspectiva decolonial sobre a experiência da ONG Palhaços sem Fronteiras (Tese de Doutorado em Teatro). Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, 2020.

JUBILUT, Liliana L.; LOPES, Rachel de O. Forced Migration and Latin America: Peculiarities of a Peculiar Region in Refugee Protection. Archiv des Völkerrechts, v. 56, n. 2, p. 131-154, 2018.

MACÉ, Marielle. Siderar, considerar: migrantes, formas de vida. Rio de Janeiro: Bazar do Tempo, 2018.

MENDONÇA JR., Jorge P. O Riso e a Ordem Social: Ensaio sobre a teoria de Henri Bergson sobre o riso e o cômico. In: XIII Semana Acadêmica do PPG em Filosofia da PUCRS. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2014. Disponível em: <https://editora.pucrs.br/anais/semanadefilosofia/XIII/13.pdf>. Acesso em: 24.06.2021.

MULLER, Jean-Marie. O princípio da não-violência: uma trajetória filosófica. São Paulo: Palas Athena, 2007.

PSF – PAYASOS SIN FRONTEIRAS. Orígenes de PSF. Barcelona: PSF, 2023a. Disponível em: <https://www.clowns.org/pagina-basica/origenes-de-psf>. Acesso em: 04.06.2021.

______. Misión. Barcelona: PSF, 2023b. Disponível em: <https://www.clowns.org/pagina-basica/mision>. Acesso em: 04.06.2021.

______. Internacional. Barcelona: PSF, 2023c. Disponível em: <https://www.clowns.org/pagina-basica/internacional>. Acesso em: 20.03.2023.

______. Estatutos de la Asociación Payasos Sin Fronteras/Pallassos sense Fronteres. Barcelona: PSF, 2021. Disponível em: <https://www.clowns.org/sites/default/files/inline-files/Estatutos%202021.pdf>. Acesso em: 30.05.2023.

______. Proyectos en Benín, Burkina Faso, Colombia, Etiopía, Jordania, Líbano, Nepal y Sáhara. Sonrisas (Rev. de los socios y las socias de Payasos sin fronteras), n. 13, nov./ mar. 2017/2018.

______. Proyectos en Angola, Burkina Faso, Costa de Marfil, Líbano y Ucrania. Sonrisas (Rev. de los socios y las socias de Payasos sin fronteras), n. 14, abr./out. 2018.

REQUENA, Carles. Editorial: La sonrisa es la distancia más corta entre dos personas. Sonrisas (Rev. de los socios y las socias de Payasos sin fronteras), n. 18, abr./set. 2020.

______. Editorial: La revolución de las sonrisas no se detiene. Sonrisas (Rev. de los socios y las socias de Payasos sin fronteras), n. 17, nov./mar. 2019/2020.

______. Editorial: Sonrisas contra el trauma de la guerra. Sonrisas (Rev. de los socios y las socias de Payasos sin fronteras), n. 15, nov./mar. 2018/2019.

______. Editorial: ¡Reír crea futuro!. Sonrisas (Rev. de los socios y las socias de Payasos sin fronteras), n. 14, abr./out. 2018.

______. Editorial: abriendo fronteras. Sonrisas (Rev. de los socios y las socias de Payasos sin fronteras), n. 10, abr./set. 2016.

SANTOS, Paulo D. B. dos. Riso e função social na filosofia de Bergson. Revista Ideação, v.1, n. 37, p. 144-153, jan./jun 2018.

SILVA, Thalita M.; PACÍFICO, Andrea M. C. P. O regime internacional dos refugiados e os instrumentos de proteção jurídica em nível internacional e latino-americano. Meridiano 47 - Journal of Global Studies, v. 19, n. e19008, p. 1-18, 2018.

UNHCR – UNITED NATIONS HIGH COMMISSIONER FOR REFUGEES. Children. Genebra: UNHCR, 2021. Disponível em: <https://www.unhcr.org/children-49c3646c1e8.html>. Acesso em: 04.06.2021.

______. Age, Gender and Diversity - Accountability Report 2016. Genebra: UNHCR, 2016. Disponível em: <https://www.unhcr.org/protection/women/595cdf5c7/unhcr-age-gender-diversity-accountability-report-2016.html>. Acesso em: 04.06.2021.

ZETTER, Roger. Forced migration – changing trends, new response. International Organization for Migration, v. 2, n. 5, p. 5-11, 2012.

Downloads

Publicado

2023-09-13

Como Citar

Silva, L. (2023). Payasos Sin Fronteras: Considerando as populações refugiadas. REMHU, Revista Interdisciplinar Da Mobilidade Humana, 31(68), 56–80. https://doi.org/10.1590/1980-85852503880006805