Mobilidade migratória

uma leitura crítica para além de metáforas hidráulicas

Palavras-chave: mobilidade migratória, jornada, fronteiras, táticas

Resumo

Este artigo explora o conceito de mobilidade migratória. Através de uma revisão crítica da literatura em estudos migratórios, que abordam tal dinâmica social por meio de imprecisas metáforas hidráulicas como, por exemplo, fluxo, fluidez ou onda migratória, demonstro a necessidade do diálogo com outros campos de pesquisa. Estudos fronteiriços e de mobilidade são as duas áreas de pesquisas trabalhadas aqui. Além de travarem íntimo diálogo com os estudos migratórios, oferecem ferramentas conceituais - particularmente, fronteiras inteligentes, espaço social e jornada - capazes de contribuir para o entendimento da migração enquanto uma mobilidade que envolve táticas e é intimamente entrelaçada com fronteiras.

Biografia do Autor

Gustavo Dias, Universidade Estadual de Montes Claros

Doutor em Sociologia pela Goldsmiths College-University of London e professor de Sociologia no Departamento de Política e Ciências Sociais da Universidade Estadual de Montes Claros-MG. Departamento de Ciências Sociais da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes). Montes Claros - MG, Brasil. E-mail: tentonidias@hotmail.com.

Publicado
2019-12-06